NEP INFORMA: A importãncia do aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida            

amamentacao-e-mamoplastia-1O aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida é fundamental para o crescimento e desenvolvimento da criança, funcionando como uma verdadeira vacina e sua produção está diretamente relacionada a sucção, ou seja, quanto mais a criança suga, mais leite é produzido.

É importante lembrar que o colostro, é o primeiro leite produzido pela mãe, tendo nutrientes com substâncias protetoras como os anticorpos, por vezes maiores do que o leite maduro, que é aquele leite que contém os nutrientes que a criança necessita para seu crescimento, sendo assim suficiente e adequado para o bebê, mesmo que em quantidades menores.

O leite possui uma importante fonte de nutrição, sendo composto por proteínas, gorduras e carboidratos, considerado o alimento ideal para o desenvolvimento do bebê, protegendo contra doenças alérgicas, desnutrição, diabetes mellitus, doenças digestivas, obesidade, cáries, entre outras.

Previne mortes infantis, além de promover a saúde física, mental e psíquica da criança.

Segundo Barros7 et al (2009), o leite materno é o alimento ideal para o crescimento e desenvolvimento de crianças, sendo indicado de forma exclusiva até o sexto mês e complementado com outros alimentos até, pelo menos, 24 meses de idade, por ter um papel fundamental na redução da morbi-mortalidade por doenças infecciosas, proteção contra diarreias, doenças crônicas e alergias.

O desmame precoce e a introdução do leite artificial tem se tornado hábito comum em período de lactação da criança, levando a taxas elevadas de mortalidade infantil nos primeiros anos de vida, portanto não é recomendado a introdução de outros alimentos durante o aleitamento materno, nem mesmo água. Os principais motivos alegados pelas mães para justificar o desmane são: retorno ao trabalho, pouco leite ou leite fraco, o bebê não querer mais mamar, o leite secar e problemas relacionados a mamas.

O aleitamento materno visa a redução da morbidade e mortalidade infantil, especialmente neonatal e os estudos afirmam que não existe leite fraco e sim a fácil digestão, levando a criança a ter fome mais rapidamente.

Mediante a tantos benefícios que o leite materno propicia, não podemos esquecer do vínculo que é criado entre mãe e filho, assegurando a criança não apenas a satisfação de suas necessidades mas também o prazer de ser segurado pelos braços de sua mãe.

COSTA, LKO; QUEIROZ, LLC; QUEIROZ, RCCS; RIBEIRO, TSF; FONSECA, MSS. Importância do aleitamento materno exclusivo: uma revisão sistemática da literatura Rev. Ciênc. Saúde, São Luís, v.15, n.1, p. 39-46, jan-jun, 2013.

Escrito pela enfermeira Denise da Silva Costa15285030_10206023369782714_7374365675593386853_n

responsável pelo Maternidade do Hospital de Cataguases

Sob coordenação do enfermeiro Peterson Gomes Faria

através do Núcleo de Educação Permanente

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *