Hospital promove em Cataguases campanha Agosto Dourado

stk_expecting_PHP3073897_4x3Convidada pela pediatra Heloisa Maria Cordeiro Toaiari, a Mesa Administrativa do Hospital de Cataguases aceitou o desafio e a partir daí o Setor de Maternidade passou a integrar a campanha de incentivo ao aleitamento materno “Agosto Dourado”, promovida pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). “Recebemos com muito carinho esta proposta que visa apoiar uma das mais antigas práticas de nutrição e que tanto ajuda no desenvolvimento da relação mãe e filho. Cumprindo assim o que diz a meta da instituição sobre a humanização no atendimento hospitalar”, afirmou o Provedor Wilson Crepaldi Júnior – Bill.

“A Maternidade foi decorada com laços dourados em alusão à campanha, os profissionais também estão usando os laços em seus uniformes. A cada dia estamos postando uma das 30 razões para a amamentação como indica a SBP, e nossas enfermeiras estão intensificando o trabalho informativo sobre a prática da amamentação às gestantes que nos procuram para exames durante a gestação, na preparação pré-parto e nos primeiros momentos de vida da criança”, afirmou o assessor de Comunicação do Hospital, Samuel Pereira.

Apesar de Cataguases apresentar um índice de amamentação muito alto, a campanha se faz importante para divulgar os benefícios dessa prática tanto para o bebê quanto para a mãe. “A gente trabalha esses conceitos tanto na consulta de pré-natal sensibilizando a mãe sobre o tema e quando o bebê nasce a gente ensina as técnicas dessa prática”, explicou a pediatra.

Para a mãe a vantagem é que a mulher que amamenta volta o corpo ao seu estado normal mais rápido. O corpo fica protegido contra câncer de mama e de ovário.  Os sangramentos pós-parto são diminuídos com o aleitamento, pois o mesmo hormônio que promove a produção de leite faz o útero contrair, a estaca a hemorragia e evita possíveis infecções.

20632330_2328806147331908_1204707599_n“O leite materno age como a primeira vacina que a criança recebe. Protege de todas as infecções que a mãe teve pela vida devido à concentração de anticorpos presentes no leite. Possui anticorpos contra doenças respiratórias, doenças alérgicas, doenças da pele, cria a microbiota intestinal, isso tudo do ponto de vista imunológico. Do ponto de vista nutricional o leite materno é a composição mais adaptada para o crescimento infantil, pois possui baixa quantidade de sal, baixa quantidade de proteína, contém todos os elementos necessários para a composição cerebral, por isso crianças que amamentam são mais inteligentes”, explicou Heloisa. “A criança quando suga, faz um esforço, quando ela faz esse esforço, ela trabalha toda musculatura orofacial, evitando que fique dentuça, protege contra problemas ortodônticos”.

Pro binômio ‘mãe e filho’, a amamentação proporciona uma relação de proximidade e confiança. A Organização Mundial de Saúde prega que as mães amamentem em regime exclusivo até o sexto mês da criança, excluindo da dieta alimentar água, chazinho, sopinha ou mamadeira. Após o sexto mês a dieta pode ser complementada com outros alimentos contanto que o hábito de “dar de mama”perdure até os dois anos da criança.

csm_topo-especial_ffafe8fecb

CAMPO POLÍTICO – Como parte das comemorações para o Agosto Dourado, a SBP também planeja uma série de ações. Na esfera política, será feito um corpo-a-corpo junto aos tomadores de decisão, de diferentes setores – governos, Congresso Nacional, Poder Judiciário, segmento empresarial, sindicatos, associações – pedindo a criação de condições para que a mulher possa amamentar seu filho. Uma das preocupações é que sejam oferecidos ambientes adequados, em especial nos locais de trabalho.   Além disso, a SBP quer apoio à mudança na legislação para que seja ampliado o período de licença-maternidade, o que possibilitaria à mulher praticar o aleitamento de seu filho. Segundo a Presidente da SBP, Luciana Silva, estudos científicos comprovam a eficácia do leite materno na redução de morbidades, mortalidades, desigualdades, violência, danos ambientais bem como na prevenção de diversas doenças, além de fortalecer o vínculo afetivo entre mãe e filho.

COMPARTILHAR INFORMAÇÕES – Outra preocupação da SBP será dividir com os médicos e a população, em geral, dados como científicos e epidemiológicos, de forma simplificada. Ao ampliar o acesso às informações, de maneira didática, espera-se reforçar o papel do aleitamento na vida das crianças e das mulheres.   Por outro lado, as pílulas de informação, na forma de cards para os meios digitais, serão produzidos e distribuídos todos os dias de agosto.

MOBILIZAÇÃO – Como parte do plano estratégico para o Agosto Dourado,  a SBP quer estimular a mobilização dos profissionais em torno do tema. A presidente da SBP, em mensagem de vídeo enviada por e-mail aos pediatras, os convida a compartilhar as ações desenvolvidas junto aos seus pacientes e familiares no sentido de estimular e apoiar o aleitamento materno. Os interessados em contar suas históricas, como forma de dividir experiências, podem enviar seus cases para o e-mail sbp@sbp.com.br. No vídeo, dra Luciana Rodrigues Silva, destaca o papel da amamentação no Brasil e a importância de cada médico neste processo.  “Contamos com o protagonismo de cada pediatra nesta campanha. Esse envolvimento deve ser perene para todo profissional devotado, pois amamentar vale ouro para o presente e o futuro das nossas crianças”, defendeu a dra. Luciana.

PARCERIA – Em paralelo às ações coordenadas diretamente pela SBP, a entidade também dará seu apoio institucional à campanha da Semana Mundial do Aleitamento Materno de 2017, cujo tema desse ano é “Trabalhar juntos para o bem comum”. No Brasil, a iniciativa está sendo desenvolvida pelo Ministério da Saúde, com lançamento previsto para o dia 4 de agosto (sexta-feira), em Curitiba (PR).

A Semana Mundial do Aleitamento Materno vem sendo comemorada desde 1992. A cada edição, uma temática relevante é selecionada para servir de mote para as diferentes atividades desenvolvidas no período. A importância do aleitamento materno exclusivo; a existência dos hospitais Amigo da Criança; o apoio ao aleitamento materno; o aleitamento materno para a mulher trabalhadora; a amamentação no contexto dos objetivos de desenvolvimento sustentáveis; integram a lista de assuntos já abordados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *